Doenças sexualmente transmissíveis(DSTs)

Como evitar Doenças Sexualmente Transmissíveis

 

Doenças Sexualmente Transmissíveis - DSTs são definidas como um grupo de doenças no qual a transmissão ocorre durante o ato sexual. Para evitá-las, é preciso que:

  • Não tenha múltiplos (as) parceiros (as).
  • Escolha bem o (a) parceiro (a).  

 


 

 

 

 

 

 


O ato sexual responsável é muito bom para a sua saúde e evita diversos dissabores. Álcool e drogas não rimam com sexo seguro. Excitação descontrolada costuma ofuscar ou ocultar o perigo do contágio, preocupe-se também com o dia seguinte. Abstendo-se hoje de um contato sexual suspeito, você estará evitando uma abstinência sexual prolongada. Caso você seja contaminado(a), certamente seu médico recomendará abstinência sexual por períodos que podem variar de semanas a meses. A prevenção é muito mais barata que qualquer tratamento; além de preservar sua integridade física, evita contratempos na escola, trabalho ou lazer pelo tempo gasto em visitas ao médico e laboratórios de análises clínicas.


  • Evite parceiros (as) que exalam mau cheiro do corpo ou genitais; é um dos sinais de descuido com a saúde e higiene.

Desconfie de qualquer secreção ou corrimento incomuns dos genitais. Aborte o ato já iniciado se perceber erupções no corpo do(a) parceiro(a), além de manchas, feridas ou cortes nos genitais.

  • Sem preservativo, nada feito!

 


 


 

O preservativo deve ser usado sempre, mesmo que sua eficiência seja reduzida em certos casos de algumas DST's. Consumada a relação sexual, levante-se e tome banho com água e sabão, lavando bem os genitais; não esqueça de urinar para "lavar" a uretra, mesmo que isto atrapalhe o "clima" ou seja pouco romântico. A desconfiança ou dúvida de que você tenha ou possa ter contraído uma DST , é o sinal de alarme para procurar seu médico, bem como avisar o(a) parceiro(a) que o faça também; evite qualquer contato sexual ou íntimo até ser liberado por seu médico.


Siga todos os conselhos e prescrições do seu médico; comunique-lhe qualquer alteração inesperada ou "novidades" no seu quadro clínico; não tome decisões de suspender, alterar, trocar ou acrescentar medicamentos, nem antecipe seu retorno às atividades sexuais baseado em melhoras clínicas aparentes. Jamais recorra aos balcões das farmácias(apesar dessa prática ser algo usual em nossa cidade), evite a auto-medicação e ceda à tentação de usar o remédio infalível aconselhado pelo amigo ou parente. Tanto o farmacêutico quanto o atendente da farmácia, o amigo ou o parente têm boas intenções mas não o conhecimento necessário nem a responsabilidade exigida para o manejo de tais casos.


Se souber ou desconfiar que tem ou possa ter uma DST, não ponha em risco a saúde da outra pessoa que inocentemente concorda em fazer sexo com você; seja honesto(a) com a outra pessoa e com a sua consciência abstendo-se do sexo até que seu médico lhe diga o contrário.



 




Leia mais: Gonorréia, HPV, Herpes Genital, Glândulas de Tyson, Glândulas de FordyceVírus do HPV no homem.

 

 





 

 

 

 

 

 

Map